VIDEOCONFERÊNCIA DO GRUPO DE TRABALHO EDUCAÇÃO INTEGRAL

6

mar
2013

MINUTA ATA Nº 01

Aos dias seis do mês de março de 2013, reuniu-se o Grupo de Trabalho Educação Integral, por videoconferência, com os seguintes participantes: Sra. Mércia Procópio, Assessora da Área de Missão (UMBRASIL); Sra. Leila Paiva, Assessora da Área de Missão (UMBRASIL); Sra. Deysiane Pontes, Analista da Área de Missão (UMBRASIL); Sra. Maria Clotilde Campos, representando a SOME; Sra. Maria Rosa Kunzle, representando a ABEC; Sra. Marilusa Rossari, representando a UCE; Sra. Neuzita Soares, representando a APC; Sra. Rita Aparecida Rocha, representando a ABEE/UNBEC; Sra. Valéria Cristina Landim – UNBEC/UBEC PMBCS. Justificou-se a ausência da Sra. Luciane Escouto, representante da USBEE. Foram convidados o Sr. Honório (Sobrenome), da PMBCS, e a Sra. Bárbara Pimpão, integrante das Comissões de Educação Básica e Solidariedade (PMBCS). 1. Acolhida e oração: A Sra. Leila Paiva acolheu os participantes, com um momento de apresentação, e conduziu o momento de oração, com foco na Campanha da Fraternidade 2013. Explicou-se o histórico de criação do presente GT, destacando que esta é uma inciativa proposta pela Comissão de Solidariedade e, após recomendação da Diretoria da UMBRASIL, integra-se a Comissão de Educação Básica. Para elaborar as Diretrizes de trabalho do GT, constituiu-se um Comitê formado pelo Sr. José de Assis, Sra. Leila Paiva, Sra. Mércia Procópio, representando a UMBRASIL; Sra. Bárbara Pimpão, representando a Comissão de Solidariedade; Sra. Waleska Cruz, representando a Comissão de Educação Básica.  Ressaltou-se, também, que o Grupo de trabalho tem uma dimensão operacional, devendo apresentar produtos decorrentes das orientações das Comissões supracitadas a serem validados por estas, pelo Comitê Temático Missão e Gestão; bem como pelas instâncias deliberativas, a Diretoria da UMBRASIL, o Conselho Superior e a Assembleia Geral da UMBRASIL.  2. Análise das Diretrizes do GT: Durante a reunião realizada em dezembro de 2012, com a participação do Sr. José de Assis, Sra. Bárbara Pimpão, Sra. Leila Paiva, Sra. Mércia Procópio e Sra. Waleska Cruz, foi elaborado o escopo com as diretrizes de trabalho do GT. O referido escopo foi encaminhado às Províncias para validação nas devidas instâncias. Assim sendo, o presente GT fez a leitura, análise e considerações destas Diretrizes, conforme tópicos das Diretrizes para o Grupo de Trabalho Educação Integral a seguir. 2.1 Objetivo Geral e específicos:  O objetivo geral foi aprovado e em respostas as dúvidas apresentadas pelo GT, explicou-se que o conceito de “ diretrizes curriculares” será utilizado com uma visão mais ampla de posicionamento teórico-prático, não ficando  restrito às normativas legais. Destacou-se, também, que as normativas e os documentos maristas serão base de todo o trabalho, exemplos: Projeto Educativo do Brasil Marista, Matrizes Curriculares do Brasil Marista, Documento Interamericano de Solidariedade, Diretrizes da Ação Evangelizadora do Brasil Marista, diretrizes do MEC, PNE, dentre outros. 2.2 Mapeamento de experiências internas e externas: Definiu-se que cada Província fará um mapeamento das experiências de educação integral maristas para socializar na próxima reunião nos dias 03 e 04 de abril. A PMBCS informou que já tem um mapeamento das experiências da rede de colégios. O mapeamento das experiências externas será elaborado ao longo do ano. A UMBRASIL elaborará uma matriz referencial para registro e socialização das experiências e a encaminhará para validação do GT até o dia 11 de março. 2.3 Metodologia: a) Formação para o GT: As contratações das assessorias para formação do GT em políticas públicas e em temas da educação integral estão pensados como ações contínuas. Foi deliberado que um dos dois dias da primeira reunião presencial será reservado para formação e discussão das premissas para subsidiar alinhamento conceitual do grupo. Assim sendo, a primeira reunião será também para diálogo sobre os referenciais epistemológicos dos integrantes do GT.  b) Indicações para assessoria: A Sra. Clotilde fará contato com a Sra. Jaqueline Moll, especialista em política pública e mãe de aluno do Colégio João Paulo II, para sondar possibilidade de assessoria ao GT. A Sra. Marilusa sugeriu, como segunda opção de assessoria na área de política pública, a Sra. Beatriz Goulart que discute espaços educativos, intersetorialidade e território. Em relação à assessoria para dimensão teórica e curricular, a Sra. Marilusa lembrou do grupo da Capes da UNIRIO, com preferência para a Sra. Sílvia Maria Coelho Mota ou Lígia Coelho. Os integrantes do GT encaminharão para as Senhoras Leila Paiva e Mércia Procópio as demais indicações de nomes para as referidas assessorias. A UMBRASIL será responsável pelos convites formais. C) Plataforma digital: Será estudada a viabilidade de uma plataforma virtual para movimentar e socializar o trabalho desenvolvido. As províncias, o GT TE e o setor de TI da UMBRASIL serão consultados para encaminhamento dessa demanda.  d) Escuta dos sujeitos: Pactuou-se que o processo de oitiva dos sujeitos (educadores, estudantes e famílias) estará presente em todo o desenvolvimento do trabalho.  Para a próxima reunião, cada Província socializará as experiências de escuta já realizadas. Discutiu-se o objetivo do processo de escuta para o GT Educação Integral e definiu-se o objetivo da escuta para o GT Educação Integral: “Mapear a aceitação, as expectativas e as percepções dos sujeitos sobre a educação integral em tempo integral.” Acordou-se que cada Província trará uma proposta de instrumental de escuta (integrando as áreas educacional e social) para partilha durante a próxima reunião nos dias 03 e 04 de abril. Assim sendo, será pensada uma metodologia de escuta adequada às intencionalidades específicas do presente GT, considerando a diversidade dos públicos, territórios, etc. Avaliou-se que a diversidade institucional e a presença em diferentes espaçotempos constitui-se uma riqueza para a efetivação do trabalho do GT na medida em que o foco na missão marista junto às crianças, adolescentes e jovens une os participantes do GT e pautará o desenvolvimento do trabalho proposto. 2.4 Cronograma: O grupo externou as preocupações em relação  aos desafios da temática e ao cronograma previsto. A primeira reunião presencial, substituída pela presente videoconferência, será agendada para o segundo semestre de acordo com as agendas dos participantes. 3. Avaliação: A videoconferência foi avaliada como produtiva e positiva, com destaque para o cumprimento da proposta de discussão das Diretrizes e esclarecimento das dúvidas do GT. Ressaltou-se, ainda, que a o trabalho do GT é uma experiência protagônica que integra Comissão de Solidariedade e Comissão de Educação Básica. O Grupo falou sobre a necessidade de se construir proposições inovadoras nesta temática tão importante e oportuna ao Brasil Marista.  Nada mais a tratar, encerrou-se a reunião, cujo conteúdo está registrado nesta ata, que lavrada por mim, Valdícer Civa Fachi, é assinada por quem de direito. Brasília, 19 de outubro de 2012.***


sex hikayeleri, mobil porno, seks hikayeleri, seks hikayesi, sex hikayesi, mobil porno izle Mobil porno hikayeleri okumak iin şu sitemizi mobil porno ziyaret edin.